Proteja sua pele da excessiva exposição solar

Muitos imaginam que depois de um período expostos ao sol, basta ir para a proteção de uma sombra para não sofrer mais danos à pele. Segundo pesquisa publicada na revista Science, a maior parte dos danos causados às células da pele por meio dos raios ultravioleta ocorrem bem depois de não estarmos expostos ao sol. O vilão desse processo, até então desconhecido, é a melanina, um pigmento da pele considerado um verdadeiro ‘protetor solar natural da pele’, responsáveis por nos proteger contra os raios UV.

Esse pigmento que sustenta a pele dos raios ultravioleta sofre um processo químico tardio causado pelo sol e que pode gerar mutações genéticas diretas ao DNA. Ou seja, lesões que podem resultar no câncer de pele.

Durante o estudo foram aplicados testes em células da pele de ratos, e descobriu-se que elas continuam a sofrer essas lesões até três horas depois da exposição solar, mais especificamente os raios ultravioleta. E, pasmem, segundo os pesquisadores o mesmo processo acontece em células da pele humana. Por isso, para quem ama pegar um sol, é hora de rever os conceitos e começar a adquirir hábitos mais saudáveis na hora de se bronzear.

O bronzeamento é uma defesa contra as radiações solares, que estimulam o organismo a produzir melanina, um pigmento natural da pele, reduzindo, com isso, a penetração das radiações UV-A e UV-B. Nos primeiros dias de exposição ao sol, o mecanismo de produção de melanina começa a ser ativado. Neste período, devem ser utilizados protetores solares com fatores de proteção mais elevados, pois eles atuarão de forma similar à melanina, filtrando os raios UV-A e UV-B.

Queimaduras, sensações de ardor e inchaços são comuns quando ocorre exposição indevida ao sol. A escolha adequada do FPS, para cada tipo de pele, é de fundamental importância. Peles mais sensíveis necessitam de um fator de proteção maior. Um produto com FPS 8, por exemplo, permite a exposição da pele ao sol por um período 8 vezes maior do que seria permitido sem a sua utilização. Contudo, isto não significa dizer que o usuário estará livre de queimaduras pois, passado esse tempo, a pele sofrerá danos, como se nenhum produto tivesse sido utilizado.

O Fator de Proteção Solar (FPS) está diretamente relacionado à quantidade e à natureza dos filtros solares utilizados na elaboração do produto. Quanto maior o valor do FPS, maior será o nível de proteção. Para escolher o FPS compatível a um determinado tipo de pele, não se deve levar em consideração as partes do corpo mais expostas ao sol, como braços ou rosto, pois tais regiões estão em contato direto e constante com o sol e, portanto, respondem de forma diferente aos seus efeitos.

Fonte: Vila Mulher

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
Leia o post anterior:
Como cuidar da pele que descamou no Sol?‏

peeling
Como funciona o peeling na pele?

Fechar